Terapia para veia

(Flebologia)

Cerca de 90% da população adulta tem sinais de insuficiência venosa. 

60 % dos pacientes com doenças venosas avançadas não são tratados.

3072 Pessoas

Com idade ebtre 18-79 anos

1350 homens

1722 mulheres

Fonte: Rabe E, Hertel S, Bock E, Hoffmann B, Jöckel KH, Pannier F.

Therapy with compression stockings in Germany results from the Bonn Vein Studies. J Dtsch Dermatol Ges. 2013 Mar;11(3):257-61.

Estudo Venoso de Bona

As veias são importantes para transportar e armazenar sangue, bem como para regular a temperatura corporal

 

“O sangue é um fluido muito especial” – mais precisamente, é um meio perfeito de transporte cujo trabalho é mover todo tipo de substâncias para as partes mais remotas do corpo. O sangue é bombeado continuamente através dos vasos sanguíneos. O coração de um adulto bombeia, em média, cerca de cinco litros de sangue por minuto através do corpo. Isso pode aumentar cinco vezes durante o esforço físico. O sangue, enriquecido com oxigênio dos pulmões, percorre as artérias e os capilares – os ramos arteriais mais finos – em todas as áreas do corpo onde os processos metabólicos ocorrem. As veias coletam sangue com depleção de oxigênio, contendo os produtos metabólicos residuais dos tecidos e o transportam de volta para os pulmões através do coração – o ciclo está completo. Além de atuar como um sistema de transporte, as veias também têm a importante tarefa de armazenar grandes quantidades de sangue circulando pelo corpo. Mais de 65 por cento do volume total de sangue no corpo humano é armazenado no sistema vascular, de modo que o sangue possa ser prontamente disponibilizado no sistema circulatório quando é colocado sob tensão – por exemplo, durante o esforço físico. As veias também são importantes para a regulação da temperatura corporal. Isso tudo é trabalho duro, especialmente para as veias das pernas. Elas precisam transportar o sangue, contra a força da gravidade, dos pontos mais baixos do corpo para o coração.

 

As veias das pernas são divididas em sistemas vasculares superficiais e profundos. As veias superficiais correm diretamente sob a pele e acima da musculatura.

Elas coletam o sangue venoso da pele e do tecido subcutâneo e o levam através de numerosas veias conectivas (veias perfurantes) até o sistema vascular profundo, que é a proximidade direta das artérias. A partir daí, o sangue com depleção de oxigênio da musculatura e dos ossos é levado de volta pela veia cava inferior para o átrio direito. Em pessoas saudáveis, cerca de 90 % do sangue venoso flui pelo sistema vascular profundo, enquanto 10 % percorre através do sistema superficial.

As válvulas vasculares também formam uma parte importante do sistema vascular. Estas válvulas ou “fechaduras” garantem que o sangue flua na direção correta, ou seja, em direção ao coração. Enquanto o sangue flui para o coração, as válvulas permanecem abertas. Quando a pressão nas veias aumenta, por exemplo, quando nos levantamos, as válvulas se fecham e impedem que o sangue venoso regresse.

sistema-circulatorio

É bom saber

  • O coração bombeia cerca de 5 litros de sangue por minuto para o corpo.
  • O ser humano tem cerca de 5 a 6 litros de sangue.
  • Em média, os homens têm 1 litro a mais de sangue que as mulheres.
  • Cerca de 4.500 litros de sangue são transportados das pernas para o coração todos os dias.
  • As veias mais profundas transportam cerca de 9 vezes mais sangue do que as veias superficiais.

Vários mecanismos de transporte trabalham juntos para promover o refluxo do sangue venoso

Não é apenas a ação das válvulas vasculares, mas também uma interação complexa entre outros mecanismos que promovem o transporte de sangue venoso de volta ao coração contra a gravidade, ou, por assim dizer, para cima. Os “motores” mais importantes que fazem o sangue fluir de volta para o coração pelas pernas são as chamadas bombas musculares, nas quais veias, músculos e articulações trabalham juntas. O princípio é muito simples: sempre que as pernas executam movimentos de flexão ou alongamento, como aqueles envolvidos na caminhada, os músculos se contraem e relaxam alternadamente. Quando os músculos se contraem, o mecanismo de bombeamento / sucção resultante empurra o sangue da veia crural adjacente na direção do coração. Isso faz com que a pressão nas veias profundas esvaziadas caia, de modo que o sangue do sistema vascular superficial seja sugado para frente, permitindo que seja transportado. As bombas musculares nos dedos dos pés, solas, tornozelos, panturrilhas, joelhos e coxas executam este processo em sequência

 

 

Doenças do sistema vascular

As varizes podem ser causadas por diversos fatores, principalmente o genético e a perda de elasticidade, relacionada à idade, nas paredes das veias. Outros fatores, como gravidez, falta de exercício e atividades que envolvem predominantemente ficar sentado ou em pé, podem promover o desenvolvimento de doença vascular. No entanto, seja qual for a causa do problema, as queixas das pernas relacionadas às veias são sempre o sintoma visível e/ou tangível de um desequilíbrio entre o fluxo arterial e o refluxo venoso. Como resultado, o fluxo de sangue das pernas diminui, o que faz com que a pressão nas veias aumente e fiquem distendidas. Isso danifica as paredes e as válvulas das veias e o refluxo do sangue é cada vez mais interrompido – o que gera um círculo vicioso.

 

 

Veias varicosas – um problema genético causado ou uma consequência da doença

Veias visíveis, distendidas e torcidas são descritas como varizes (varizes). 90% das varizes ocorrem nas pernas. Dependendo da causa, elas são classificadas como varizes secundárias – que ocorrem como resultado de outras doenças – e varizes primárias – por exemplo, aquelas causadas pelo enfraquecimento hereditário das veias.

Válvula Venosa Aberta

Válvula Venosa Fechada

Veia Operacional

Veia Superficial Distendida

Veia superficial operacional sob Terapia de Compressao

Falha da função de transporte é insuficiência venosa crônica

A falha da função de transporte do sistema vascular é referido como insuficiência venosa crônica. Pode ocorrer como resultado de varizes estabelecidas ou após um bloqueio venoso (trombose) causado por um coágulo sanguíneo. Os primeiros sintomas são dores e uma sensação de aperto e peso. A maior pressão nas veias leva ao aumento do fluxo de líquido para os tecidos dos capilares sanguíneos, causando inchaço (edema).

Insuficiência Venosa Crônica

As úlceras da perna são consequências mais severas da doença venosa crônica

O acúmulo de líquido impede a troca de oxigênio entre as hemácias e as células receptoras, o que, por sua vez, leva ao dano tecidual e à destruição das células. Um sintoma visível é a formação de uma úlcera na perna (Ulcus cruris), a consequência mais séria da insuficiência venosa crônica.

Ulcus Cruris

Tromboflebite ou inflamação das paredes venosas

Uma inflamação das veias superficiais é denominada tromboflebite. Os sintomas são uma distinta hiperemia da pele e uma dor forte por pressão na área afetada. Injeções ou infusões na veia afetada geralmente podem desencadear o problema.

Tromboflebite

Embolia pulmonar como consequência da oclusão venosa

Quando um vaso sanguíneo do pulmão é obstruído, trata-se de uma embolia pulmonar. Ela é geralmente causada por um coágulo de sangue que se separa da parede venosa das veias profundas das pernas. Este trombo é bombeado através do corpo pela corrente sanguínea, até que, finalmente, fique preso num vaso sanguíneo mais estreito.

O diâmetro das artérias diminui nos pulmões, o que também é denominado de “ramificação das artérias pulmonares”. Um coágulo pode facilmente ficar preso nestes vasos estreitos e entupir a artéria. Como resultado, a irrigação sanguínea na parte obstruída do pulmão torna-se insuficiente. Dependendo do tamanho dos vasos ocluídos, pode ocorrer uma situação de perigo de vida.

Os sinais de aviso mais importantes de uma embolia pulmonar com risco de vida são:

  • Dificuldades respiratórias
  • Súbita falta de ar
  • Escarro sangrento
  • Taquicardia
  • Perda de consciência repentina

 

Se você apresentar um ou mais desses sintomas, consulte um médico imediatamente!

As causas das doenças venosas são múltiplas. E assim, vários fatores muitas vezes se juntam, até que uma doença venosa ocorra. Pequenas alterações como as veias das microvarizes ou vermelhidão cutânea podem ser os primeiros sintomas de um distúrbio funcional. Qualquer pessoa que leve a sério esses sinais e reaja a tempo tem boas chances de prevenir doenças ou, pelo menos, de interferir positivamente na sua evolução.

Seu estilo de vida pode influenciar os seguintes fatores de risco que favorecem o desenvolvimento de doenças venosas:

  • Sobrepeso
  • Inatividade física
  • Permanecer sentado e em pé por muito tempo
  • Consumo de nicotina e álcool
  • Influências hormonais (por exemplo, através da pílula)
  • Roupas apertadas
  • Aporte térmico extremo (por exemplo, durante uma sessão de sauna ou banhos de sol intensivos)
  • Sapatos de salto alto
Insuficiência venosa e do tecido conjuntivo

Os problemas venenosos são, muitas vezes, hereditários. Nesse caso, geralmente já existem outros membros da família, como pais e avós, que são afetados por varizes e outros distúrbios venosos.

A razão para isso pode ser uma fraqueza congênita do tecido conjuntivo, que pode esticar demasiado a parede venosa. A dilatação das veias conduz ao fato de que as válvulas venosas já não se fecham completamente, restringindo o retorno do sangue ao coração. Infelizmente, a fraqueza hereditária do tecido conjuntivo não pode ser eliminada, mas pode ser tratada de forma simples e eficaz por compressão.

O tecido conjuntivo torna-se cada vez mais fraco ao longo da vida e as paredes venosas podem se expandir. A pressão externa pode compensar a perda de elasticidade das paredes venosas. Como resultado, as válvulas venosas se aproximam novamente e podem se fechar completamente outra vez. Assim você pode auxiliar suas veias através da compressão e neutralizar os consequentes danos.

Em geral, as mulheres são mais frequentemente afetadas pela insuficiência venosa que os homens, e por isso devem cuidar da saúde das suas veias numa idade precoce. O uso de sapatos com saltos altos também restringe o movimento da articulação do tornozelo e, portanto, prejudica o funcionamento da bomba da articulação. O sangue já não é suficientemente transportado e acumula-se de volta.

Gravidez: um teste de resistência

Durante a gravidez, o corpo da mulher não se encontra em seu estado comum e, na verdade, realiza um alto desempenho. A quantidade de sangue aumenta cerca de 30 a 40 % até a nascimento da criança. Com os 1,5 a 2 litros de sangue adicionais, as veias têm de funcionar a toda a velocidade.

Além disso, os hormônios liberados no corpo suavizam o tecido conjuntivo para a fase de crescimento e nascimento. Como efeito colateral indesejável, no entanto, as paredes venosas também perdem tensão e a capacidade de bombeamento é prejudicada. Isso duplica a utilidade do apoio da função venosa por compressão durante a gravidez.

O útero em crescimento pressiona a veia cava inferior, que absorve o sangue das extremidades inferiores, tornando o retorno do sangue mais difícil, o que pode levar a um aumento do risco de formação de microvarizes e varizes. As mulheres grávidas podem combater isso com exercício e ginástica regular. Quando sentadas, as pernas não devem ser cruzadas para que o sangue possa circular melhor. Também é possível auxiliar o desempenho das veias erguendo regularmente as pernas durante o dia e colocando uma almofada debaixo das panturrilhas à noite.

As meias de compressão proporcionam maior alívio para pernas pesadas e inchadas. Elas já podem ser utilizadas de forma profilática no início da gestação. Desse modo, você pode desfrutar ao máximo a experiência única da gravidez!

Pernas leves – boa viagem

Uma viagem representa sempre um esforço especial para veias e pernas. Quase todas as pessoas que gostam de viajar pelo mundo conhecem a sensação de pernas pesadas ou inchadas. Essa condição não é apenas desagradável, mas pode levar a uma perigosa trombose de viagem.

Especialmente para as pessoas que pertencem a um grupo de risco, passar longos períodos sentadas e com as pernas dobradas pode ser perigoso. O líquido pode acumular-se nas pernas e a pressão no tecido pode impedir o fluxo de retorno do sangue. Por fim, o risco de um coágulo sanguíneo obstruir os vasos sanguíneos também aumenta – o trombo.

Os grupos de risco para trombose de viagem são pessoas mais velhas e com excesso de peso, bem como mulheres grávidas. Há também pacientes que já sofreram de trombose ou embolia ou que sofrem de doença venosa, varizes ou distúrbio de coagulação do sangue.

Para reduzir o risco, sempre que possível devem se levantar e mexer as pernas durante a viagem, ou exercitá-las enquanto estão sentados. Beber líquido o suficiente é recomendável – o consumo de álcool, por outro lado, é uma má ideia, porque dilata os vasos sanguíneos e perturba ainda mais a circulação. Mesmo sem qualquer antecedente, é aconselhável que mulheres e homens usem meias de compressão durante uma viagem mais longa, porque essas podem aliviar as veias e evitar a retenção de líquidos.

Sintomas de distúrbios venosos

Os sinais de um distúrbio venoso podem ser subdivididos em sintomas que podem ser sentidos internamente e sintomas que podem ser vistos externamente. Os seguintes pontos podem indicar uma doença venosa.

Sintomas visíveis

  • Inchaço dos tornozelos e pés
  • Microvarizes
  • Varizes
  • Vermelhidão ou outras alterações de cor da pele
  • Áreas secas e finas da pele
  • Úlceras cutâneas na zona do tornozelo

 

Sintomas perceptíveis

  • Pernas pesadas ou cansadas
  • Dores nas pernas
  • Cãibras noturnas na panturrilha
  • Dor lancinante ou pontadas na panturrilha
  • Formigamento ou queimação
  • Dor compressiva ou sensação de repuxamento

Possibilidades de tratamento em terapia venosa

Se você descobrir quaisquer sinais de doença venosa, não se esqueça de consultar um médico. Após um exame completo, o médico irá informá-lo sobre os métodos de tratamento mais adequados para você.

 

Quando é recomendável a terapia de compressão?

A terapia de compressão é a base importante no tratamento de distúrbios venosos. Mesmo que as microvarizes ou varizes existentes não possam regredir, a compressão pode neutralizar a progressão da doença. A terapia de compressão consistente é também indispensável em todas as fases avançadas da doença e em casos crônicos.

Selecta Dynamic

A Selecta Dynamic tem uma presença discreta e seu tecido é visivelmente agradável. É robusta, adapta-se perfeitamente ao corpo e respeita seus movimentos. De boa resistência, a Selecta Dynamic é a malha circular ideal para elevadas exigências.

Selecta Dynamic Cotton

Esta meia é especialmente suave para a pele, graças ao seu interior em confortável algodão, mesmo nos casos de irritações cutâneas ou alergias. A fibra natural de algodão reforça as características funcionais da Selecta Dynamic perfeitamente.

Selecta Dynamic Cotton Rib

Esta meia é ideal para as necessidades das pessoas ativas. De aparência elegante e discreta, o tecido de algodão canelado e a estrutura resistente e durável fazem com que a meia acompanhe bem atividades ao ar livre e esportes.

Desconto em produtos Selecta Dynamic

Pernas mais saudáveis em tempos de Corona